Logística no comércio eletrônico: tudo o que você precisa saber

Logística no comércio eletrônico: tudo o que você precisa saber

Com tantos fatores a considerar ao abrir um e-commerce, como apresentação de produtos, marketing e atendimento ao cliente, é fácil ignorar um dos componentes mais importantes: a logística. 

A logística no comércio eletrônico é fator fundamental para o sucesso, pois se uma empresa não consegue fornecer um produto aos seus clientes, eles encontrarão outra que possa. 

Logística no comércio eletrônico: tudo o que você precisa saber

Terceirização da logística no comércio eletrônico

A logística no comércio eletrônico se tornou mais desafiadora nos últimos anos com o aumento da concorrência e do padrão dos serviços prestados. Hoje em dia, os consumidores esperam entrega rápida, rastreada e opções variadas de frete

Os vendedores precisam de uma cadeia de suprimentos confiável para atender a essa demanda, e muitas empresas simplesmente não têm recursos para lidar com muitos dos problemas de logística relacionados ao e-commerce.

Existem várias questões de logística no comércio eletrônico que os varejistas precisam considerar para garantir que tenham todas as suas bases cobertas.

Provedores de logística internos ou terceirizados 

Uma das primeiras questões que os proprietários de lojas virtuais devem considerar é se devem ou não terceirizar sua logística no comércio eletrônico para um provedor de logística terceirizado (3PL). 

Muitos vendedores hesitam em terceirizar, principalmente devido ao medo de perder o controle ou à preocupação de que os 3PLs possam ser mais caros do que lidar com a logística internamente. No entanto, há enormes vantagens na terceirização

Operadores terceirizados têm uma abundância de recursos que os vendedores individuais não têm, como tecnologia, mão de obra, armazéns e especialização. Além disso, eles têm economias de escala que geralmente lhes permitem oferecer um preço por unidade melhor do que as opções de internalização. Ainda mais importante, 3PLs permitem que varejistas e vendedores se concentrem em suas competências essenciais – fabricação e venda de seus produtos – e oferecem escalabilidade conforme o negócio cresce.

Provedores de logística terceirizados, como a Flash Courier, podem ser a solução ideal para varejistas menores que não têm estrutura para gerenciar a logística a nível nacional ou, em alguns casos, até global. 

A maioria das empresas, por exemplo, opta por terceirizar o atendimento de pedidos para operadores logísticos que têm capacidade de estoque, expertise em embalagem, veículos de frete e tecnologias de gerenciamento de remessas. Ao usar um 3PL para gerenciar a logística no comércio eletrônico, empresas de qualquer tamanho podem atingir um alcance muito maior.

Quais recursos de logística no comércio eletrônico são essenciais? 

Quer uma empresa decida construir sua capacidade de logística no comércio eletrônico internamente ou terceirizar, é fundamental certificar-se de que a empresa ou seu 3PL tenham os seguintes recursos: 

Armazéns bem distribuídos

A necessidade de oferecer entrega expressa para se manter competitivo, fez com que os vendedores distribuíssem seu estoque e mantivessem seus produtos em depósitos próximos aos maiores centros populacionais. Essa descentralização do estoque também permite que as lojas virtuais usem transportadoras regionais e municipais e outras opções que não são possíveis no caso do envio para longas distâncias. 

Big data e análises inteligentes

Big data, aprimorado por análises inteligentes, pode ser uma virada de jogo na logística no comércio eletrônico. Por exemplo, o big data pode ajudar a identificar padrões e tendências de demanda que antes eram difíceis de perceber. O software preditivo, baseado em big data, pode vincular o planejamento de estoque às tendências de navegação e aos interesses do consumidor online. Esse recurso também desempenha um papel vital na otimização do trânsito de produtos, tornando possível a análise de dados em tempo real. Os sistemas coletam e analisam dados de uma ampla variedade de fontes, incluindo a Internet das coisas, rastreadores de satélite, previsão do tempo e muito mais, para prever a rota ideal do ponto A ao ponto B.

Automação 

A automação é a chave para atender à demanda de entrega rápida. Os sistemas automatizados notificam os clientes quando ocorrem atrasos ao longo da cadeia de abastecimento. Os armazéns robóticos podem fazer pedidos automaticamente quando o estoque cai, evitando que vendas sejam perdidas. Embora a automação exija um grande investimento inicial, ela aumenta a eficiência, garantindo um ROI de longo prazo para empresas com grande volume.

Sincronização 

Ao gerenciar vários depósitos e entregas entre regiões, a sincronização e a integração são essenciais. Para atender às demandas e expectativas dos clientes, os elementos da cadeia de suprimentos precisam se comunicar. Por exemplo, os mecanismos de rastreamento de estoque devem ser conectados à loja online, possibilitando que os clientes saibam se um item está disponível antes de passar pelo processo de checkout.

Para otimizar a logística do e-commerce e continuar crescendo, as empresas precisam investir na sincronização e conexão entre suas várias plataformas.

Gerenciamento de devoluções

É comum clientes ficarem insatisfeitos com uma compra e desejarem devolvê-la ou trocá-la, processo também conhecido como logística reversa. As devoluções e trocas podem representar mais de 25% das vendas no e-commerce, onde os clientes só podem ver, sentir ou experimentar o produto depois de entregue. Os custos e mecanismos para lidar com a logística reversa com tanto cuidado quanto a compra inicial precisam ser contabilizados no orçamento e nos planos de logística do e-commerce.

Última milha (last mile)

Um dos componentes mais complicados e difíceis da logística no comércio eletrônico é a chamada “last mile”. Esta é a fase do processo em que a encomenda percorre a última parte do trajeto, ou seja, chega até a porta do cliente. A última milha geralmente é implementada por uma transportadora ou serviços postais locais. Especialistas do setor estimam que os custos da última milha podem ser algo entre 28% a 53% do custo total de envio.

A última milha é desafiadora devido à granularidade de levar um pacote para uma casa individual a tempo. Por exemplo, em áreas rurais, a distância entre as residências retarda a entrega. Em áreas urbanas, os benefícios da proximidade são frequentemente anulados pelo tráfego. Além disso, a última milha é a interação final entre a marca e o consumidor na cadeia logística do e-commerce, e é uma oportunidade chave para causar uma boa impressão. Portanto, é importante que seja feito da maneira certa.

Invista na logística e tenha um e-commerce bem sucedido

Entrega de pedidos: como o frete pode aumentar as vendas no comércio eletrônico

Ter um e-commerce não é apenas desenvolver um ótimo produto. Para ter sucesso no mercado competitivo de hoje, os varejistas precisam atender aos altos padrões de atendimento e entrega de pedidos.

Seja por meio de um provedor de logística terceirizado ou pelo desenvolvimento de capacidade interna, uma logística de comércio eletrônico forte é a chave para o crescimento de um negócio bem-sucedido.

Com soluções diversificadas para suprir as necessidades específicas de cada negócio, a Flash Courier é um 3PL que atende todo território nacional.

Especializada em entrega rápida, a empresa possui tecnologia de rastreio, sistema próprio de cálculo de frete online, capacidade de armazenagem, expertise em embalagens e frota própria e nova (mais de dois mil veículos).

Para saber mais, visite nosso site, conheça nossas opções, e garanta o melhor serviço de logística para e-commerce.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *