IA no comércio eletrônico: dados, aplicações e tendências

IA no comércio eletrônico: dados, aplicações e tendências

O uso de IA no comércio eletrônico e suas inúmeras possibilidades para os negócios nunca foi tão discutido.

Atualmente, o comércio eletrônico é um dos principais adotantes de Inteligência Artificial, com casos de uso que vão desde recomendações personalizadas de produtos até otimização de preços, logística inteligente e previsão de vendas/demanda. 

Neste artigo, veremos como a IA permite que os varejistas evoluam a jornada de compra dos clientes e quais suas principais tendências. 

IA no comércio eletrônico: aplicações e tendências

Principais tipos de IA no comércio eletrônico

Para começar, vamos ver três estatísticas incríveis relacionadas à IA no comércio eletrônico:

  • Até 2032, espera-se que o mercado de IA de comércio eletrônico alcance US$ 45,72 bilhões 
  • 84% das empresas online colocam a IA como sua principal prioridade
  • O uso de IA no comércio eletrônico melhora em mais de 25% a satisfação do cliente, receita e redução de custos

Estas estatísticas demonstram a importância crescente da IA ​ e os benefícios potenciais que pode proporcionar às empresas e aos consumidores.

A seguir, vamos ver algumas de suas aplicações que já estão mudando o mundo das compras online.

Recomendações personalizadas de produtos

Assim como a forma como as pessoas compram mudou, também mudaram as suas expectativas. 

Os clientes de hoje desejam receber uma experiência personalizada ao fazer compras online e, quando os varejistas oferecem essa experiência, são recompensados ​​com um aumento de 40% na receita

Para fazer isso, a IA destila insights de dados de comportamento do cliente – como pesquisas, cliques e compras – alimentando-os em ferramentas de filtragem de dados, que usam algoritmos para recomendar os itens mais relevantes a um consumidor específico. 

As recomendações personalizadas de produtos ajudam os clientes a encontrar o que desejam rapidamente.

Para o varejista, pode aumentar muito a fidelidade do cliente e as oportunidades de vendas com ofertas de produtos cruzadas ou upsell. 

Pesquisas mais inteligentes

Assim como as recomendações personalizadas de produtos, a IA no comércio eletrônico identifica padrões em dados online e offline para entender a intenção do cliente. 

Algoritmos de aprendizado de máquina levam a análise mais longe para tornar os dados contextuais. Por exemplo, se um comprador pesquisa “bolsas” e a IA consegue determinar que ele tem um casamento próximo, ela pode retornar resultados para bolsas de festa ao invés de itens com estilo mais casual.

Além disso, como a tecnologia de IA “estuda” constantemente o usuário, ela aprende sobre as preferências individuais e pode fazer recomendações mais precisas. 

Essa hiper-segmentação pode resolver o pesadelo de todo varejista: carrinhos de compras abandonados

Globalmente, a taxa média de abandono do carrinho de compras é 70,21%. Através de pesquisas mais inteligentes, que entendem a intenção do comprador, os varejistas podem mostrar o produto certo, no lugar certo, na hora certa.

Logística e Previsão

À medida que a adoção de IA no comércio eletrônico cresce, os varejistas começam a utilizar esta tecnologia para gerir as complexidades inerentes às suas operações, otimizando os processos de armazenamento e revolucionando a gestão da cadeia de suprimentos.

Para melhorar o processo de logística e previsão, a Inteligência Artificial extrai informações de várias fontes, incluindo dados transacionais, comportamentais, demográficos e dados de comércio eletrônico (por exemplo, como um cliente reagiu a um e-mail promocional). 

Ao aplicar técnicas como aprendizado de máquina, mineração de dados, algoritmos de otimização e redes neurais, os varejistas podem analisar grandes quantidades de dados em tempo real para identificar padrões e fazer previsões. 

Isto é particularmente útil para:

  • Gerenciamento de estoque: análise de dados de históricos de vendas, tendências atuais do mercado e insights de escuta social para gerar previsões de demanda precisas. 
  • Previsões de sazonalidade: prever com precisão a demanda por eventos únicos, anuais ou pouco frequentes (como a Black Friday).
  • Otimização de preços: a criação de preços dinâmicos com base na oferta e na demanda ajuda a calcular o desconto mínimo necessário para garantir a venda.

Além disso, a IA permite que os varejistas automatizem tarefas repetitivas e simplifiquem os fluxos de trabalho, o que pode reduzir significativamente o tempo e o custo associados às operações de armazém. Isso é útil para coisas como:

  • Gestão da cadeia de abastecimento: uma pesquisa realizada pela McKinsey mostrou que os adotantes de IA no comércio eletrônico melhoraram os custos logísticos em 15%, os níveis de estoque em 35% e os níveis de serviço em 65%.
  • Entrega rápida: 99% dos consumidores afirmam que a entrega rápida é importante ao fazer compras online, e é por isso que 42% dos varejistas estão trabalhando em como oferecer entrega no mesmo dia.

Assistentes de atendimento

A IA generativa em comércio eletrônico agora pode alimentar comércio conversacional online, o que libera a equipe responsável pelo atendimento para trabalhar em tarefas menos servis. 

Assistentes de IA no comércio eletrônico são capazes de responder a consultas mais complexas a qualquer hora do dia ou da noite, compartilhando recomendações de produtos com base em campanhas de retargeting e fornecendo atualizações em tempo real para rastreamento preciso de pacotes. 

Para os varejistas, os assistentes de IA oferecem a vantagem de quebrar as barreiras linguísticas na cadeia de abastecimento para evitar erros dispendiosos, otimizar as descrições dos produtos com base na análise de palavras-chave e realizar teste A/B automaticamente.

O futuro da IA ​​no comércio eletrônico

ia-no-comercio-eletronico-flashcourier

A maior tendência no horizonte? Comércio conversacional. 

A tecnologia por trás de assistentes de voz como Alexa e Siri só irá avançar e, à medida que isso acontecer, criará uma experiência de compra habilitada por voz que afetará o comportamento do consumidor.

Graças ao processamento de linguagem natural, o comércio conversacional já começa a facilitar experiências de compra personalizadas em grande escala

A IA no comércio eletrônico será um catalisador para garantir que os dados do cliente e seu histórico de compras sejam utilizados para oferecer a experiência mais integrada possível aos compradores online.

Além disso, um levantamento, do Instituto dos Engenheiros Eletrônicos e Eletricistas (IEEE) feito em cinco países, incluindo o Brasil, mostra que a IA será a principal tecnologia de 2024. 

Na Flash, investimos pesado em machine learning, automação e Big Data.

Isso nos permite roteirizar mercadorias de diferentes clientes, tamanhos e prazos com maior agilidade e eficiência. 

Quando se trata de inovação tecnológica, nossa visão e ações estão sempre à frente do mercado.

Para saber mais, visite nosso site, conheça nossas soluções, e garanta o melhor serviço de entrega para o seu comércio eletrônico. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *